Extra-Muros


Na obra de João Penoni, preponderam imagens do próprio corpo do artista, o qual sobe às paredes, no sentido figurado, e sobe as paredes, literalmente. Pelo menos, foi o caso de uma performance do artista, realizada em 2005 e registrada em vídeo, em que escalou os muros do Parque Lage. Nada é mais corpóreo do que o corpo, nada mais indicativo das limitações concretas que nos encerram.

Nos trabalhos de João, no entanto, o corpo vira fotografia; a fotografia vira vídeo; o vídeo vira animação; e a animação nos devolve ao estágio puro de movimento e êxtase que corresponde à experiência inebriante do corpo solto no espaço. Do estático ao extático, o corpóreo é feito incorpóreo, e as limitações que nos atam ao fisicismo reles são rompidas. Em suas fotografias, através da sutil manipulação de forma e cor, luz e contraste, o corpo do artista é transformado em algo quase abstrato, irreal e absoluto em sua paradoxal permanência num estado de câmbio perpétuo. Através da animação de suas fotografias, acrescidas da passagem do tempo pela ilusão da imagem em movimento, o vídeo Circuito coloca diante de nossos olhos o corpo do artista transmudado em perfeita liberdade plástica, em puro fluxo contínuo pelos cenários primitivos de nossa imaginação periférica.


Rafael Cardoso
Exposição Extra-Muros
Paço Imperial – Rio de Janeiro, 2007.



Paço Imperial, Rio de Janeiro

Vista da exposição Extra Muros: Paço Imperial, Rio de Janeiro